Dia das Crianças: brinquedos Tecnológicos aliados à Aprendizagem infantil

Você já parou para pensar que o momento de brincar das crianças, além de ser benéfico para a aprendizagem, pode ser educativo? As brincadeiras estão cada vez mais educativas e, com os avanços tecnológicos, cada vez mais crianças aproveitam o momento de se divertir para aprender também.

Conversamos sobre a relação dos brinquedos e a educação das crianças com Isabela Kora, psicóloga pela Universidade Mackenzie e pós-graduanda em Psicopedagogia pelo Centro Universitário São Camilo

Isabela incentiva a introdução dos brinquedos tecnológicos na rotina das crianças, desde que isso seja feito com um objetivo: descobrir o que aquela brincadeira pode agregar no processo de aprendizagem da criança

É preciso se perguntar: “O que eu quero trabalhar com a criança ao propor essa brincadeira ou entregar esse brinquedo? ”, recomenda. 

Sobre a utilização de Brinquedos Tecnológicos e brincadeiras sem tecnologia na rotina da criança, a psicóloga recomenda que haja um equilíbrio. 

Alguns estudos apontam que a idade ideal para introduzir a tecnologia no cotidiano das crianças é a partir dos três anos de idade. Portanto, é recomendado que as crianças tenham o acesso à tecnologia, ao mesmo tempo que esse período seja dividido com as brincadeiras tradicionais. ”, comenta Isabela.

Kora também afirma: “Entre os benefícios que a união dos brinquedos tecnológicos às brincadeiras exerce no processo de aprendizagem da criança, estão o desenvolvimento do raciocínio lógico, resolução de problemas e tomada de decisão, além do desenvolvimento motor e neurológico.”, encerra.

Quais as recomendações de Brinquedos para cada idade?

Com base nas recomendações do INMETRO de brinquedos ideais para cada faixa etária, criamos uma lista com os brinquedos tecnológicos adequados para crianças de todas as idades:

  • 0 a 5 meses – Ao longo dos primeiros meses de vida, o bebê reage a sons e leva tudo à boca, por isso o ideal são os brinquedos que emitem sons leves e superfície lisa.
  • 6 meses a 1 ano –  Para estimular o bebê que já levanta e tem pescoço firme, brinquedos que emitem sons a partir de comandos como apertar e empurrar são recomendados.
  • 1 a 2 anos – É nessa fase que a criança começa a imitar o adulto e desenvolver a fala. Escolha brinquedos que estimulem a repetição de palavras e sons, como os que simulam vozes de animais.
  • 2 a 3 anos – Nesse período, as crianças desenvolvem a linguagem e passam a reconhecer cores e formatos. Aposte em brinquedos musicais com bastante cor e desenhos.
  • 3 a 4 anos – Como é nessa fase que a criança começa a compreender relações de causalidade e a desenvolver o raciocínio, os laptops infantis são uma boa opção.
  • 4 a 6 anos – É o período correto para apostar em brinquedos que estimulam a imaginação e a criatividade, que estão se desenvolvendo. Instrumentos musicais e robôs simples são alguns exemplos.
  • Acima de 6 anos – É hora de investir em brinquedos que colaboram com o desenvolvimento do raciocínio lógico. Vídeo games e jogos eletrônicos funcionam bem.


Brinquedos Tecnológicos e Educativos 

A Amazon faz anualmente uma lista dos 100 Brinquedos mais vendidos do ano, além de prever quais produtos vão estar em alta no próximo período de férias e datas comemorativas. Em 2018, já era nítido: os brinquedos tecnológicos estão entre os mais procurados. 

É o caso do V.Reader, um minicomputador que se assemelha a um tablet e que pode ser acionado pelo toque ou por uma caneta específica. Ele possui jogos interativos, leitor e player de vídeos. 

Já o uDraw Tablet, é uma mesa gráfica que lembra os antigos quadros de desenho magnéticos. A diferença é que é possível conectar o brinquedo ao Nintendo Wii e reproduzir os desenhos na televisão.

Já o Cubo Rubik Eletrônico, é a evolução do famoso cubo mágico tradicional, mas, em vez de mover as peças, os quadradinhos coloridos são iluminados e sensíveis ao toque. Para brincar, é preciso apenas imitar o movimento de giro com os dedos e as luzes do cubo mudam de posição.

Incorporar as brincadeiras tradicionais no cotidiano e estimular o uso desses brinquedos tecnológicos que interagem, com moderação e supervisão dos pais e responsáveis, é essencial para o crescimento saudável das crianças. 

Apresentar brinquedos tecnológicos e integrar esses objetos às brincadeiras das crianças pode influenciar diretamente o desenvolvimento infantil durante processos que vão desde a alfabetização, escrita, e até mesmo as questões sobre interação social. 

Pensando nisso, quais brinquedos tecnológicos estão na sua lista de compras para este Dia das Crianças? Conta pra gente! (:

NFC: conheça o Sistema de Pagamentos sem Fio

Você conhece o sistema NFC? Near-Field Communication (NFC), ou sistema de comunicação por campo de proximidade, é uma tecnologia que permite a troca de informações wireless entre dispositivos, ou seja, sem a utilização de cabos. 

Alguns dispositivos, como smartphones, smartwatches, tablets e cartões de crédito, já contam com o sistema — e com ele é possível realizar pagamentos e transferir arquivos entre dois dispositivos. Para funcionar, basta que os dispositivos estejam próximos – cerca de 10 centímetros e com o NFC ativado. 

Já pensou estar em um restaurante e, na hora de pagar a conta, perceber que esqueceu a carteira? O sistema pode facilitar – e muito, a vida dos usuários por ser usada como uma carteira digital no smartphone, ou seja, que funciona sem a necessidade dos cartões de débito ou crédito físicos. Neste caso, o usuário pode aproximar o smartphone da máquina de cartão e realizar o pagamento automaticamente. 

Conversamos com Arthur Igreja, professor na Fundação Getúlio Vargas (FGV) e especialista em Tecnologia e Inovação, sobre os benefícios de utilizar o sistema NFC e como ele pode facilitar o dia a dia dos usuários.

Como funciona o sistema NFC

O NFC funciona só para pagamentos?

Vale lembrar o sistema de comunicação por campo de proximidade (NFC) não é usado somente para transações bancárias, podendo ser usado também para transferir arquivos entre dois dispositivos, semelhante ao sistema Bluetooth, porém, sem a necessidade de parear os dois smartphones, por exemplo. 

O sistema gera um link de frequência de rádio de curta distância, e então é necessário aproximar os dispositivos para fazer a conexão entre eles. Além de não precisar de acesso à internet para funcionar.

Em outros países, como Estados Unidos e Japão, o sistema já pode ser utilizado para comprar em lojas e supermercados, ingressos de shows e eventos e passagens de transporte público.  

No mês de setembro, algumas linhas de ônibus em São Paulo começaram testes para aceitar o pagamento das passagens com o uso desta tecnologia

O novo serviço só irá contemplar dispositivos que tenham a tecnologia NFC, que funcionará ao aproximar o cartão (neste caso, cartões de débito e crédito com tecnologia NFC) do  do validador eletrônico do ônibus, não sendo necessária a senha do usuário. 

O especialista pontua que o NFC representa o “futuro” no que se refere às tecnologias nos meios de pagamentos. 

“Essa tecnologia tem um papel fundamental na inovação dos pagamentos. E tudo caminha para um futuro mais sustentável, principalmente, com a eliminação de plástico, bem como qualquer elemento físico que envolva meios de pagamento. ”, comenta Arthur Igreja, professor na Fundação Getúlio Vargas (FGV) e especialista em Tecnologia e Inovação.

O sistema NFC é seguro?

O NFC é um sistema de troca de informações seguro, pois, por funcionar por aproximação, o usuário não corre o risco de ter os dados roubados ou interceptados por terceiros via internet. 

Em alguns casos, o cartão contactless (que possui a tecnologia NFC) pode passar compras até certo valor (o limite do valor disponível para cartões contactless é disponibilizado de acordo com a operadora do cartão) sem a necessidade de inserir uma senha, mas para valores maiores, a máquina de cartão solicita a senha do usuário. 

Portanto, em caso de roubo ou furto do cartão de crédito ou smartphone, não será possível realizar compras com o cartão ou dispositivo acima do limite de compra estipulado pelo banco. 

Porém, como em qualquer caso de perda ou roubo de cartão, o usuário deve cancelar o cartão antigo e solicitar um novo. O especialista comenta que o principal benefício do NFC é a facilidade do pagamento sem fio. 

“Conseguir automatizar os pagamentos, fazer cadastros dos seus cartões e, por proximidade, liquidar a transação, combinado com biometria traz conveniência para o usuário”, finaliza.

Ter o NFC ativado através das configurações em seus dispositivos (no caso de smartphones e tablets) pode ser interessante para realizar compras e transações quando você não estiver com dinheiro em espécie ou até mesmo com seus cartões físicos! 

E você, já utilizou o NFC para realizar algum pagamento ou transferir arquivos? Conte pra gente nos comentários! (:

Smartphones do futuro: conheça as inovações presentes no nosso cotidiano

Já assistiu a filmes e séries de ficção científica e ficou imaginando como seriam os dispositivos eletrônicos no futuro? Desde que o gênero surgiu no audiovisual, já vimos diversas interpretações de como seriam os anos 2000 em diante. De carros voadores a implantes tecnológicos, os smartphones futuristas foram, talvez, as previsões que mais se concretizaram ao longo dos anos.

Na última semana, a fabricante chinesa Xiaomi revelou o Mi Mix Alpha, smartphone que possui um display de 180% de proporção, ou seja, a tela do aparelho envolve completamente o celular. Este lançamento levanta o debate sobre a evolução dos smartphones como os conhecemos. Será que existe um limite para a inovação tecnológica aliada à praticidade e à usabilidade dos usuários?

Celular Xiaomi

Em abril deste ano, a Samsung anunciou o Galaxy Fold, primeiro smartphone dobrável do mercado. Quando fechado, sua tela possui apenas 4.8 polegadas (o iPhone 11, último lançamento da Apple, conta com 6.1 polegadas de tela), mas, quando aberto completamente, o dispositivo oferece 7.3 polegadas totalmente aproveitáveis.

Samsung Galaxy Fold

Disponível no mercado brasileiro desde julho deste ano, o modelo Galaxy A80, da Samsung, também traz inovações. O novo smartphone conta com uma câmera frontal reversível, ou seja, a câmera se vira para ser frontal ou traseira. O aparelho também conta com o alcance de até 48 megapixels para fotos e tela de 6.7 polegadas. Então, sempre que você quiser tirar uma selfie, basta ativar a câmera dianteira para que a câmera se desloque e fique posicionada no local correto para a foto.

Samsung Galaxy Fold

Ainda existem algumas preocupações

Nas redes sociais, a maior preocupação dos usuários interessados em adquirir os lançamentos é, sem dúvidas, o quão resistente e duradouros são os novos aparelhos. No caso do Mi Mix Alpha, a tela, que ocupa também o verso do smartphone, impossibilita o uso de capas protetoras contra quedas e riscos.

Já no Galaxy Fold, o movimento constante de abrir e fechar o display pode prejudicar o aparelho a curto prazo. Especialistas em tecnologia receberam o modelo logo após seu anúncio público, e os testes iniciais mostraram que existem fragilidades no design inovador.

A fabricante Samsung emitiu notas oficiais e incluiu manuais especiais nas embalagens do smartphone, orientando os usuários a tomarem cuidado ao manuseá-lo. Além dos avisos, a empresa criou o serviço Galaxy Fold Premier Service, que oferece uma troca única de tela, caso necessário, por cerca de US$ 149.

Quais são as funcionalidades dessas inovações?

Além da inovação e curiosidade despertada nos usuários pelo senso tecnológico desses gadgets, ainda não existem funcionalidades específicas para os recursos novos. Os benefícios ficam por conta das especificações de memória, câmera e bateria dos aparelhos, que devem ser analisadas pelo consumidor de acordo com suas necessidades.

Existem muitas previsões sobre os smartphones do futuro e como eles se parecerão, e há quem imagine a extinção do formato de celular como conhecemos, com o crescimento de smartwatches e aperfeiçoamento do Google Glass (óculos inteligentes que projetam imagens e realizam comandos básicos de câmera).

E você, como imagina os smartphones daqui a 10 ou 15 anos? Conte pra gente nos comentários!